Legislativo sul-coreano estaria supostamente dividido sobre possível isenção do serviço militar de BTS

A questão de serviço militar para eles é algo que se discute um bom tempo

BTS. Crédito: HYBE
BTS. Crédito: HYBE

A Assembleia Nacional da Coreia do Sul, a legislatura do país do Leste Asiático, está supostamente dividida sobre a possibilidade de isentar os membros do BTS do serviço militar obrigatório.

A notícia é da Agência Yonhap de Notícias, que citou comentários de Boo Seung-chan, o porta-voz do ministério da defesa da Coréia, que observou que os militares estão considerando “variáveis ​​situacionais” sobre a chamada Lei BTS.

O projeto de Lei BTS, se aprovado, permitiria ao septeto continuar seu trabalho como ídolos do K-pop por 34 meses em um programa alternativo, no lugar deles se submeterem ao serviço militar obrigatório regular de 18 a 22 meses servidos por homens sul-coreanos, de acordo com o The Korea Herald.

Em relação ao projeto de revisão, o ministério da defesa não pode deixar de considerar as variáveis ​​situacionais. O que enfrentamos neste exato momento é a situação provocada pelo encolhimento populacional”, disse Boo em coletiva de imprensa, via Yonhap News Agency.

Em segundo lugar, também é necessário um consenso social. Ou seja, trata-se de um serviço militar justo”, acrescentou, destacando a necessidade de sermos “prudentes” com a situação.

Em seus relatórios, a Yonhap e o The Korea Herald observaram que um subcomitê do comitê de defesa da Assembleia Nacional “falhou em fazer qualquer progresso” durante as discussões de hoje. Este último veículo também descreveu o debate sobre os prós e os contras da lei como “intenso”.

Leonardo Nascimento
Leonardo Nascimento Redator, estudante de publicidade e propaganda, fortalezense e amante de música pop.