Críticas

Crítica – “Esticando a Festa”

O filme estrelado por Victoria Justice traz uma reflexão “além da vida”.

  Isabella Rocha    sábado, 04 de setembro de 2021

Reprodução/Internet

Estrelado por Victoria Justice e Midori Francis (Dash and Lily), o novo filme teen da Netflix “Esticando a Festa” é uma aposta de sucesso para o gênero. A trama conta a história de Cassie (Victoria Justice), uma garota festeira que mora junto de sua melhor amiga Lisa (Midori Francis), até que um dia ela morre e precisa resolver questões inacabadas para fazer a sua passagem.

De nome original Afterlife of the Party, a obra é dirigida por Stephen Herek e estreou na Netflix no dia 2 de setembro, logo nos primeiros dias de lançamento já se tornou alvo de muitos comentários dos telespectadores.

Confira o trailer:

Apesar das tentativas de humor, o filme se torna essencial nas reflexões e no drama desenvolvido. Cassie vivia uma vida de superficialidades, onde se entregava em festas e sempre tinha a desculpa de que essa era a sua profissão. Apesar de tudo, ela se esforçava ao máximo para dar atenção a sua melhor amiga desde a infância, Lisa.

Lisa é completamente diferente de Cassie, enquanto a melhor amiga ama festas, dançar, se divertir, é completamente agitada e egoísta, Lisa se preocupa com seus estudos e trabalho sobre fósseis, é mais tímida e não se encaixa muito bem nas festas. Mesmo assim, a garota tem um bom coração e faz de tudo para agradar a amiga.

Conheça o elenco de Esticando a Festa, comédia romântica da Netflix

Quando Cassie morre, na semana do seu aniversário de 25 anos, ela tem uma briga com Lisa antes. A trama revela que após a morte da protagonista ela se encontra com uma mulher que é o seu “anjo da guarda” e descobre que precisará passar por um processo antes de tomar a fatal decisão: subir ou descer, em forma de, ir ao paraíso ou inferno.

Para isso, a personagem descobre que precisa lidar com questões pendentes com sua melhor amiga, após a briga. Também com seu pai, do qual ela não deu muita atenção em vida, mesmo ele se esforçando para conquistá-la. E por fim, questões com sua mãe, da qual deixou ela muito cedo e Cassie guardou um grande rancor.

O filme mostra como o ser humano se prende a pequenos detalhes que o impede de evoluir e ficar bem consigo mesmo, Através da figura animada de Cassie, a trama relata a superficialidade das emoções e a liquidez das vidas que não criam verdadeiros e reais laços.

Crítica – Esticando a Festa

Reprodução/Internet

O perdão e o olhar de cuidado com o próximo foram exaltados dentre as atividades que Cassie precisou realizar para que conseguisse resolver suas pendências na terra. O filme se mostra muito emocionante, pois a personagem evolui “pós-morte” quando para de se enxergar como protagonista em todas as situações e olha a vida como forma de expectadora.

Algo curioso no filme, é que as relações amorosas não são o centro da narrativa, o enredo segue na importância do contato profundo que Cassie construiu com sua amiga, nas decisões com os seus sentimentos em relação a mãe e o pai. O “toque” romântico se dá de maneira fofa no caso de Lisa, que se apaixona pelo vizinho e conta com a ajuda da amiga em forma de “anjo” para namorar com o rapaz.

No entanto, Cassie demonstra ter um crush no astro Koop (Spencer Sutherland) e no final do filme, quando ela finalmente consegue resolver todas as suas questões pendentes, ela o encontra no paraíso. Essa circunstância foi apresentada no filme de maneira jogada, com muitas informações de um “casal” que não foi desenvolvido durante a narrativa.

ESTICANDO A FESTA: Vale a pena seu play? | Coxinha Nerd

Reprodução/Internet