Crítica – “Confissões de uma Garota Excluída”

O novo longa da Netflix pode parecer um clichê, mas também é comovente, engraçado e impactante.

Reprodução/Internet

O livro “Confissões de uma garota excluída, mal-amada e (um pouco) dramática” da Thalita Rebouças, ganhou um adaptação para filme na Netflix. “Confissões de uma Garota Excluída” é o novo filme da plataforma, protagonizado por Klara Castanho que interpreta a personagem Tetê. O longa estreia nesta quarta-feira (22) e se enquadra como um filme adolescente crucial, engraçado e emocionante.

Dirigido por Bruno Garotti, o roteiro é responsabilidade da autora Thalita Rebouças que conduziu a adaptação de sua obra de uma maneira atual e inovadora. Confira a sinopse oficial:

“Em Confissões de uma Garota Excluída, acompanhamos a história de Tetê (Klara Castanho), uma jovem de 16 anos que não se sente aceita na escola, nem em casa. Quando seus pais, desempregados, precisam se mudar da Barra da Tijuca para a casa dos avós em Copacabana, a adolescente é obrigada a recomeçar em outro colégio. Nessa nova jornada, ela vai tentar de tudo para não sofrer bullying novamente e, quem sabe, fazer amigos e ter uma vida social. As populares Valentina (Júlia Gomes) e Laís (Fernanda Concon) não vão facilitar, mas os igualmente excluídos Davi (Gabriel Lima) e Zeca (Marcus Bessa) podem se tornar aliados e, inclusive, ajudar a abrir caminho para os crushes.”

Tetê é uma garota boa, mas uma adolescente que guarda suas emoções e excentricidade para si. Aos 15 anos ela tem que mudar para a casa dos avós, por conta do desemprego de seu pai. Essa mudança na vida, leva a jovem a mudar de escola e sofrer com o impacto de socializar em um novo lugar, uma vez que ela é tímida e sempre foi excluída. A maneira que o filme retrata o “adolescente clichê excluído”, não é igual a outras obras, a personagem tem dramas únicos e apresenta peculiaridades que a tornam “estranha” na visão dos parentes, como não gostar de sair, de chocolate, de dar risada e etc.

A personagem se aproxima de dois outros excluídos na turma, Davi (Gabriel Lima) e Zeca (Marcus Bessa), que tornam a vida dela “mais fácil”. É a primeira vez que ela tem amigos e essa construção traz à tona a carência que ela apresenta. A abordagem familiar mostrada,  pressiona ela para conquistar a sociabilidade e interfere diretamente em suas relações.

Um dos pontos cruciais da trama, envolve a relação com a sua família. Diferente de muitos filmes adolescentes, Tetê expressa conformação com os comentários maldosos de seus pais e avós, ela não retruca ou responde com maldade, sofre internamente e isso é apresentado ao longo da trama. O maior impacto é causado pela ruptura dessas opiniões e quando ela apresenta o que realmente sente, mostrando que o jovem pode criar feridas e traumas internos com a pressão imposta pelos pais e perfeição cobrada da parte de muitos ao redor.

A narração da personagem principal revela os sentimentos de Tetê ao longo dos acontecimentos. Os trocadilhos recentes, menções a memes do momento e comparações com ídolos teen como Jacob Elordi e Noah Ceantineo, tornam o filme contemporâneo, divertido e descontraído. Outro personagem é responsável por essa finalidade, Zeca, interpretado por Marcus Bessa. Ele representa o amigo verdadeiro, sincero, que leva todos para a realidade com muito humor e com os seus comentários rende muitas risadas do telespectador.

Netflix marca a estreia de Confissões de uma garota excluída, com Klara Castanho
Reprodução/Internet

Como todo bom filme adolescente, Tetê enfrenta as “Meninas Maldosas” na escola e lida com rejeição vindo da parte de Valentina (Júlia Gomes) que vive colada com a sua melhor amiga Laís (Fernanda Concon). A construção da rivalidade entre Tetê e Valentina é baseada na alta popularidade da antagonista que se vê ameaçada com uma garota nova e excluída. O filme apresenta uma narrativa rica em todas as relações de amizade e família. No entanto, quando se trata do “arrependimento” da vilã, a história ficou evasiva.

Valentina atormenta Tetê durante toda a trama e apresenta constante irritação com todos na turma, menos com sua melhor amiga e namorado. Com as reviravoltas da narrativa ela se arrepende e muda da “água para o vinho”, trazendo uma boa mensagem de perdão, mas certa fraqueza e antecipação de roteiro.

Confissões de uma Garota Excluída: Fernanda Concon, Júlia Gomes
Reprodução/Internet

“Confissões de uma Garota Excluída” te leva a rir com as aventuras que Tetê passa, como a primeira festa, o primeiro beijo e os comentários do amigo Zeca e da própria família. Mas ao mesmo tempo te leva a grande emoção, com a pureza e bondade do amigo Davi, que apresenta um grande laço com os avós. E também traz uma reflexão quanto a autoaceitação, a exposição dos sentimentos e compreender a complexidade dos jovens, que são cobrados o tempo todo, mas que não são obrigados a apresentar extrema felicidade a todo momento.

Isabella Rocha
Isabella Rocha Redatora, produtora de conteúdo, uma garota que ama séries, filmes, livros e música e fala muito sobre histórias. A minha história está lá no Instagram (@bellaisarocha)!