‘Saint Seiya’: diferentes formas de abordar a “masculinidade”

Todos os protagonistas podem ser vistos como tendo diferentes "masculinidades".

O anime de 1986, Saint Seiya, sempre chamou a atenção dos fãs pelos seus diferentes protagonistas, principalmente, pelo personagem Shun, que foi  importante na infância de muitas pessoas por representar uma masculinidade gentil, raramente associada aos protagonistas de shonen. 

O site CBR levantou algumas questões importantes do personagem, em comparação aos outros. Como o contraste entre sua personalidade gentil e a masculinidade agressiva de seu irmão Ikki, que começa como vilão e termina como herói. Quanto a Shiryu e Hyoga, ambos têm personalidades menos dramáticas, apesar de ainda assim distintas, sendo o primeiro o mais maduro do grupo principal, agindo como a voz equilibrada da razão, e o segundo parecendo frio, mas leal àqueles que considera amigos. Ambos representariam uma masculinidade que se encontra no meio do espectro entre Shun e Ikki.

Quanto a Seiya, tem uma energia mais equilibrada, sendo o protagonista shonen por excelência. Assim, é como se cada Cavaleiro de Bronze tivesse sua própria versão de “masculinidade”, definindo ela de diferentes formas, o que diferencia Saint Seiya de outros shonen.

Thaisy Quinteiro
Thaisy Quinteiro Bacharela em Letras, tradutora e professora de japonês, apaixonada por kpop, anime/mangá, livros, drag queens, cosplay e tantas outras coisas que não cabem aqui!