Cultura

Conheça os easter eggs do segundo episódio de “What If…?”

O segundo episódio de “Marvel: What If…?” já chegou, e trouxe T’Challa como Senhor das Estrelas, além de vários easter eggs. Vem comigo conferir todos eles na lista abaixo!

  Anna Luíza Mosson    quinta-feira, 19 de agosto de 2021

Ontem foi quarta-feira, dia de “What If…?” e de matar a saudade do MCU. Enquanto na última semana fomos introduzidos a uma nova Capitã, a Peggy Carter, dessa vez, pudemos conhecer um novo Star Lord, que veio na pele de T’Challa, rei de Wakanda, na timeline original, que acabou sendo sequestrado, por acidente, no lugar do Peter Quill. O episódio é duplamente especial, já que esta será a ultima vez que ouviremos a voz de Chadwick Boseman, que veio a falecer em 2020.

A história de hoje contém diversos easter eggs, e, se você não conseguiu ver todos eles, não se preocupe, é para isso que eu estou aqui! Confira a lista completa abaixo:

  • Peter Quill vs. T’Challa

A primeira cena do filme alude ao volume um de “Guardiões da Galáxia”, trazendo o Senhor das Estrelas roubando a esfera que possui a joia do poder. Contudo, diferentemente do que ocorre na linha do tempo sagrada, T’Challa é mais sério e não chega dançando no local do roubo.

Outro paralelo acontece quando, ao ser pego pelo Korath, capanga de Ronan, T’Challa insiste que é apenas um lixeiro, assim como Quill havia dito. A diferença é que, diferentemente de Peter, T’Challa têm uma reputação de roubar dos ricos e oferecer aos pobres, sendo imediatamente reconhecido (e venerado) por Korath, que não sabia se sentia honrado ou envergonhado por precisar batalhar contra o famoso Senhor das Estrelas.

  • Ele ainda não gosta de reverências!

Falando em honra, seja qual for a realidade, nosso querido Cha-cha não gosta nadinha que se curvem a ele. Houve até uma referência sutil a “Guerra Infinita”, quando o Hulk tenta se curvar. Desta vez, foi o Korath que quis fazer uma reverência. Isso é que é ser fã!

  • Mandela vs. Milano

Peter Quill batizou sua nave de Milano, em homenagem a uma de suas atrizes favoritas, Alyssa Milano. Já T’Challa resolveu nomeá-la Mandela, referenciando Nelson Mandela. Legal, não?

  • Venda para quem paga mais e perca alguns dentes!

Nessa realidade, os Ravangers não roubam e vendem as coisas por dinheiro, mas sim buscam tornar a galáxia melhor e mais justa. Quando Yondu pergunta ao T’Challa o que aconteceria se eles ainda vivessem como mercenários, o garoto responde que, provavelmente, o mais velho estaria sentindo falta de alguns dentes. A fala é uma referência sútil ao fato de que o Yondu tem vários dentes de ouro no filme original de “Guardiões da Galáxia”.

  • Algumas coisas nunca mudam

Se tem uma coisa que “What If…?” anda nos ensinando é que, não importa a realidade em você vive, certas coisas nunca mudam. Seja a história trágica de Peggy e Steve ou o fato de que, desde pequeno, T’Challa sonhava em abrir Wakanda para o mundo exterior, algumas coisas estão realmente fadadas a acontecer.

  • O começo de uma nova era

Okay, parece que muitas coisas não mudam! A cena onde o T’Challa é abduzido tem exatamente o mesmo layout da original, de “Guardiões da Galáxia: Volume um”.

  • A turma original, alguns soldados da Nova Corp e o… Thanos…?

Parece o começo de uma piada ruim, mas é verdade! Depois de conquistar a joia do poder, o time vai beber todas em um bar, onde, entre os clientes, se encontram alguns soldados da Nova Corp, que podem ser vistos ao fundo, além da mais nova adição da equipe, o Korath, que jura ser melhor amigo do Star Lord. A equipe está cheia de rostos familiares, como o Teaser Face e o personagem de Sean Gunn; contudo, a surpresa mesmo vem com o Thanos. Sim, o Titã Louco faz parte da “família” do T’Challa! Há até uma piadinha em uma das batalhas do episódio, onde perguntam se ele está maluco e o cara solta um: “Não, louco!”

Thanos ainda jura que seu plano não é um genocídio, já que é aleatório, gerando vários diálogos engraçados. Contudo, ele conta que o nosso Senhor das Estrelas conseguiu fazê-lo entender que haviam formas mais pacíficas de alcançar seus objetivos e, por agora, ele anda envolvido como jardinagem. Nada de Guerra Infinita por aqui, todos os Vingadores seguem vivos e a Uva Passa conseguiu, finalmente, fazer sua sopa!

  • Tarnax IV

Parece que um dos feitos de T’Challa pela galáxia foi um assalto ao Banco Central de Tarnax IV, capital do império skrull. Nos quadrinhos, esse planeta é destruído e os Skrull acabam sendo obrigados a se refugiar em vários cantos da galáxia, dando origem ao evento “Invasão Secreta”. Parece que, nesta versão da realidade, o local ainda está intacto e vários problemas foram evitados!

  • Drax e sua família

Um dos planetas salvos pelo T’Challa foi o de Drax, evitando que sua família fosse morta em uma invasão Kree. Por causa disso, o grandão parece bem mais amigável e até pede uma foto com o Senhor das Estrelas. Que fofo, onde será que ele está na foto?

  • Nebulosa loira e adotada

A própria Nebulosa disse, em um dos filmes, que seu pai substituía uma parte orgânica de seu corpo por outra cibernética, caso ela perdesse uma luta. Por aqui, T’Challa interviu antes que o pior acontecesse e, embora ela ainda tenha um olho cibernético, o resto de sua fisionomia é bem normal, com ela chegando a ter um cabelo loira odonto maravilhoso.

Mas não se enganem, tal qual Thor e Loki, ela e Thanos fazem questão de lembrar que a mesma é adotada sempre que alguém lembra o parentesco dos dois.

  • Robin Williams ou Robin Hood?

Seja lá qual for a linha do tempo, o Yondu ainda não sabe nada sobre cultura pop! Desta vez, ele confundiu o Robin Hood, ladrão arqueiro que roubava dos pobres e dava para os ricos, com o Robin WIlliams, lendário ator de Hollywood. Imagina um time de mercenários com a cara do Robin Williams!

  • A Ordem Negra e o Colecionador

O T’Challa pode até ter conseguido tirar o Thanos do mau caminho, porém, o mesmo não pode ser dito por seus capangas da Ordem Negra. A diferença é que, agora, eles são seguidores do mais novo vilão supremo do pedaço, o próprio Colecionador. O Fauce de Ébano, inclusive, continua com seu estranho interesse em dissecar pessoas, só que, desta vez, ao invés de tentar utilizar o Mago Supremo como cobaia, foi a vez do Senhor das Estrelas quase virar projeto de ciências.

  • A incrível coleção do… Colecionador

Durante o episódio, Cha-Cha decide dar um rolê no meio dos colecionáveis do nosso mais novo super vilão intergaláctico. Entre os seres presentes na cena, estão:

  • × Cosmo, o cachorro espacial, também presente em “Guardiões da Galáxia 1
  • × Um Elfo Sombrio, que também estava preso em “Guardiões da Galáxia 1”, além de ser um dos vilões de “Thor: O Mundo Sombrio”
  • × Gigantes de Gelo, vilões do primeiro filme do Thor
  • × Kronans, raça do personagem Korg, de “Thor: Ragnarok”
  • × Um rinoceronte de Wakanda e o Loki Jacaré (não é zoeira, um fã realmente os encontrou no meio da bagunça da cena)
  • × Howard, o Pato Falante

  • Ultil you’ve gone duck!

O que dizer sobre Howard, o pato tão icônico que ganhou um filme solo em 1986? Aqui, ele veio cheio de referências a si mesmo no inglês, então vem comigo que eu traduzo para você!

Em “Guardiões da Galáxia”, ele diz, ao flertar com uma moça, que “you’re out of luck until you’ve gone duck“, algo como “você não tem sorte até ir com o pato”. Já em “What If…?”, ao ser liberto de sua gaiola por T’Challa, ele diz “when you’re out of luck, always go duck.”, que em tradução livre significa “quando se está sem sorte, sempre vá com o pato”.

  • O bartender de Thor: Ragnarok

O Howard não é muito fã de trabalho e logo deixa sua nova missão por um bar do Colecionador. Esse mesmo local (e seu bartender robótico) serviram a Valkyrie no terceiro filme do Thor.

  • Várias naves e um… X-Wing?

Quando T’Challa encontra a coleção de naves do Colecionador, podemos ver uma de exploração Wakandana, um pod de batalhas Kree, a nave de festas do Grão-Mestre, uma da Tropa Nova e o veículo de exploração do Reino Quântico utilizado em “Homem-Formiga e a Vespa”. Contudo, a rainha das referências veio na forma de um X-Wing, do universo Star Wars. Será que o colecionador é muito fã da saga ou será que ele viajou para uma galáxia muito muito distante?

  • Você pode tirar o garoto de Wakanda…

Reparem no estilo de luta do T’Challa contra o Colecionador. Ele usa bastante as mãos e os pés, como uma pantera. É possível perceber que, em sua essência, Cha-Cha ainda é o Pantera Negra.

  • Um Kroniano tagarela e vários troféus

Como um bom vilão, o Colecionador tem vários troféus de suas vítimas, como a mão de um “kroniano tagarela” (RIP Korg), o escudo do Capitão América e até mesmo o Mjolnir (como será que ele levantou o martelo para colocar ele ali na parede?).

Além disso, ele possui a adaga de Malekith (se você não se lembra dele, reveja “Thor 2”) e o capacete da Hela, junto à sua necroespada. Esse safado teve até a audácia de imitar a pose da Hela!

Sabiam que, nos quadrinhos, a necrosword foi forjada do crânio de uma divindade muito antiga e foi a primeira forma simbiótica? Para quem não lembra, simbiose é a gosma maligna que possui a galera. Será que, no futuro, essa revelação imapactará o MCU?

  • Musiquinha dos Guardiões e é hora do martelo!

Tal qual na última semana, quando tivemos memórias da trilha sonora de “Capitão América”, dessa vez, pudemos ouvir novamente o tema dos “Guardiões da Galáxia”. Inclusive, foi com esse som que o Thanos lutou contra seus ex-capangas e soltou uma referência que deixaria o Capitão América orgulhoso!

Para salvar seus companheiros, o Titã Louco aguentou um golpe-martelo do Obsidian, tal qual o Peter Parker em “Guerra Infinita” e, ao ser chamado de maluco pela Nebulosa, ele afirmou, sorrindo, que não, ele era apenas louco! A referência dupla veio aí para levar os nerds à loucura.

  • Encontro de família

No final de tudo, T’Challa reencontra sua família biológica, em Wakanda, e os apresenta sua família adotiva e nada convencional. A cena é emocionante e bem parecida com os filmes originais. Não que o Cha-Cha tenha ido pro espaço no MCU, mas a família dele é bem parecida com a real! Além disso, se todos estão vivos, parece que não houve Guerra Civil, né? Tantos problemas foram evitados por esse sequestro…

  • Pontos de salto deixam sua cara esticada!

Além de uma conversa entre Okoye e Thanos que eu não sabia que precisava, a festa de boas vindas ao T’Challa nos trouxe um diálogo com Kraglin, personagem de Sean Gunn, que tem uma referência inusitada. Ele diz que jump points, ou pontos de salto, no portugês, são ótimos para viajar mais rápido, mas que eles deixam sua cara toda esticada e estranha. Quem pode esquecer a cena engraçadíssima dos Guardiões saltando para chegar ao planeta Ego em “Guardiões da Galáxia: Volume 2”?

  • Peter Quill e Ego ainda estão aí!

Seja qual for a linha do tempo, o Peter Quill ama música e, por isso, quando o vemos, ao final do episódio, ele está trabalhando como faxineiro no restaurante Dairy Queen e uscutando música no mesmo fone de ouvido laranja que ele usa nos filmes originais. Outro fato legal é que o restaurante onde ele trabalha é um dos locais onde seu pai, Ego, escondeu uma das sementes que o permitiria expandir seus poderes e consciência para outros planetas.

No final de tudo, o pai de Peter resolve ir visitá-lo, gerando um cliff-hanger que, provavelmente, só será respondido na próxima temporada de “What If…?”, que já foi confirmada e está sendo roteirizada.

  • Em Homenagem à nossa inspiração e ao nosso herói

Infelizmente, essa foi a ultima vez que vimos Chadwick Boseman como T’Challa, mesmo que apenas por voz. O ator lutou contra um câncer agressivo por anos e veio a falecer em 2020, deixando uma família linda e um legado incrível. Tal qual o episódio do Senhor das Estrelas, esse artigo é em homenagem a ele, que nos ensinou o quanto a representatividade é importante e que todos nós podemos ser heróis, mesmo que de maneiras diferentes. Rest in Power, Chadwick!