Filmes

Star Wars: Para John Boyega, Disney aprofundou apenas personagens brancos e Finn foi menosprezado

Tá errado? Não tá.

  Paulo C. Góis    quinta-feira, 03 de setembro de 2020

Reprodução/Internet

Em recente entrevista à revista GQ, John Boyega foi bastante corajoso ao falar sobre a presença (e o uso apenas para fins de marketing) de minorias nas telonas e não poupou a Disney de críticas.

De acordo com o ator – e qualquer pessoa com dois olhos -, a empresa apresentou personagens diversos por motivos comerciais, como Finn, e os deixou de lado para focar na construção e complexidade de personagens brancos.

“Você se envolve em projetos e não vai necessariamente gostar de tudo. O que eu queria dizer à Disney é para não trazer um personagem preto, comercializá-lo para ser muito mais importante na franquia do que é e, em seguida, colocá-lo de lado”, disse Boyega.

Apresentado como uma grande adição em Star Wars: O Despertar da Força, Finn foi se tornando cada vez mais coadjuvante, até quase desaparecer em Star Wars: A Ascensão Skywalker, sem um arco tão relevante.

Além disso, Boyega disse que os atores não-brancos do elenco receberam o mesmo tipo de tratamento: o menosprezo.

“Vocês souberam o que fazer com a Daisy Ridley [Rey], vocês souberam o que fazer com o Adam Driver [Kylo Ren]. Vocês souberam o que fazer com essas outras pessoas, mas quando se tratava de Kelly Marie Tran, quando se tratava de John Boyega, dane-se. O que você quer que eu diga? O que eles [Disney] querem que eu diga é: ‘Eu gostei de fazer parte disso. Foi uma ótima experiência…’ Não. Eu digo isso quando for uma ótima experiência.

“Eles deram toda a nuance a Adam Driver, toda a nuance a Daisy Ridley. Sejamos honestos. A Daisy sabe disso. O Adam sabe disso. Todos sabem. Eu não estou expondo nada de novo”, completou.

Tá errado? Não tá.