Séries & TV

Criadores de ‘Avatar’ dizem que críticas sociais da animação são essenciais

A obra é facilmente considerada uma das melhores séries animadas já feitas. 

  Paulo C. Góis    terça-feira, 11 de agosto de 2020

Reprodução/Internet

Quem não gosta de Avatar, bom sujeito não é.

Não estamos falando do filme bilionário de James Cameron (esse ainda divide opiniões…), mas de Avatar: A Lenda de Aang, facilmente considerada uma das melhores séries animadas já feitas.

O desenho estreou na Nickelodeon em 2005 e tem uma legião de fãs – que só faz crescer com o tempo – até hoje, e agora os criadores Michael Dante DiMartino e Bryan Konietzko falaram um pouco sobre a importância das críticas sociais inseridas na trama em entrevista ao The Washington Post.

“De certa forma, estou surpreso com o quão relevante a animação ainda é para as pessoas, não só para as crianças, mas para adolescentes e adultos”, disse DiMartino. “Acho que é porque a trama carrega fortes críticas ao genocídio, totalitarismo, injustiça sistêmica, abusos…Bryan [Konietzko] e eu criamos ‘Avatar‘ como um reflexo do nosso mundo. Mas agora, estamos vivendo em uma época em que todos esses problemas foram agravados.”

Konietzko se disse emocionado pelo interesse dos fãs na história, mesmo após tantos anos:

“Os feedbacks que recebemos dos pais ao longo desses sempre me deixaram emocionado. Alguns pais já me disseram que reúnem a família e criam seus filhos se baseando na ética dos personagens. Para mim, como criador de conteúdo, isso é muito comovente e inspirador.”

E você, já assistiu?


Paulo C. Góis

Paulo C. Góis

Paulo Cesar Góis, tradutor e redator. Foi introduzido por Harry Potter no mundo nerd. Desde então devorou de Duna a Sandman, e usa a fantasia e a ficção científica para tornar o universo um pouco mais mágico.

Comentários