Games

Games não levam a comportamento violento, diz novo estudo

Apesar disso, jogar games violentos pode tornar as pessoas indiferentes à violência – o que é outro problema.

  Paulo C. Góis    quarta-feira, 22 de julho de 2020

Reprodução/Internet

Os videogames não levam à violência ou agressão, de acordo com uma nova análise dos dados coletados de mais de 21.000 jovens em todo o mundo.

Os pesquisadores, liderados por Aaron Drummond, da Universidade Massey da Nova Zelândia, re-examinaram 28 estudos de anos anteriores que analisavam a ligação entre comportamento agressivo e videogame, um método conhecido como meta-análise.

O novo relatório, publicado na revista Royal Society Open Science na quarta-feira (22), descobriu que, quando reunidos, os estudos mostraram uma correlação positiva estatisticamente significativa, mas minúscula, entre jogos e agressões, abaixo do limiar necessário para contar como até mesmo um “pequeno efeito”.

“Assim, a pesquisa atual é incapaz de apoiar a hipótese de que os videogames violentos tenham um impacto preditivo significativo a longo prazo na agressão juvenil”, afirmou o relatório.

Entre eles, os vários estudos incluídos na pesquisa datam de 2008 e relataram uma série de efeitos, incluindo uma pequena correlação positiva entre violência e uso de videogame em cerca de um quarto deles e nenhuma conclusão geral na maior parte do resto, com um estudo de 2011 que encontrou uma correlação negativa.

Um argumento comum para um efeito negativo do jogo é que pequenos danos podem se acumular ao longo do tempo: se um jogador termina cada jogo um pouco mais agressivo, a longo prazo, isso pode resultar em uma mudança significativa no temperamento. Mas o estudo não encontra evidências de tal acumulação e, de fato, encontra evidências apontando na direção oposta.

Os estudos constatam consistentemente que “os impactos a longo prazo dos jogos violentos na agressão juvenil são quase nulos”, eles escrevem.

“Convocamos estudiosos individuais, bem como associações profissionais, como a American Psychological Association, a serem mais próximos sobre a relação extremamente pequena observada em estudos longitudinais entre jogos violentos e agressão juvenil”, concluem os autores.

Embora esse vínculo possa ser pequeno, outros estudos mostraram efeitos interessantes sobre um comportamento emocional mais amplo.

Uma pesquisa da Universidade de New South Wales em 2018, por exemplo, descobriu que pessoas que frequentemente jogavam videogames violentos eram menos distraídas por imagens violentas em outros contextos, um fenômeno que o autor do estudo chamou de “cegueira induzida pela emoção”.


Paulo C. Góis

Paulo C. Góis

Paulo Cesar Góis, tradutor e redator. Foi introduzido por Harry Potter no mundo nerd. Desde então devorou de Duna a Sandman, e usa a fantasia e a ficção científica para tornar o universo um pouco mais mágico.

Comentários