Notícias

Diretores de ‘Vingadores: Ultimato’ criticam reabertura dos cinemas nos EUA

“Não me vejo entrando em um cinema em um futuro próximo”, disse Anthony Russo.

  Paulo C. Góis    sexta-feira, 26 de junho de 2020

Joe e Anthony Russo

Retornar às salas de cinema reabertas em meio a uma onda de casos COVID-19 é uma “situação de alto risco”, admitem os diretores de Vingadores: Ultimato, Anthony e Joe Russo, que não vão entrar no cinema pelo “futuro próximo”.

A Warner Bros. e Christopher Nolan planejavam há muito tempo que Tenet recebesse de volta os espectadores em 17 de julho, mas o thriller sinistro foi adiado para 31 de julho e, em seguida, 12 de agosto em meio a um pico nos casos.

Perguntado se reabrir os cinemas a tempo de Tenet é “muito otimista”, Joe Russo disse a Kevin McCarthy que é uma “questão complicada”.

“Acho que todo mundo tem um limiar de risco diferente, ao que parece, no país agora. Acho que realmente depende de qual é o seu limiar de risco, mas certamente estar em um espaço fechado é uma situação de alto risco”, o produtor disse em uma entrevista virtual.

“Portanto, há a questão de saber se queremos que isso aconteça, o que fazemos, mas se isso é prático e seguro e se podemos recomendar, o que acho que não poderíamos. Apenas pelo modo como estou me aproximando da pandemia com a minha família é que somos muito conservadores quanto a isso.”

Russo continuou:

“Olha, se você voltar e observar a gripe espanhola, foi um período de dois ou três anos. Acho que com a tecnologia e a ciência moderna, talvez possamos comprimir esse período, mas será um ano ou dois até que as coisas voltem ao normal.”

Admitindo que está “desesperado” pelo retorno da experiência nos cinemas, Anthony Russo acrescentou que a pandemia “desgastou as pessoas de muitas maneiras diferentes, o tipo de limitações pelas quais todos vivemos”.

“Mas acho que, no final do dia, onde você coloca o risco? Acho que existem lugares mais imediatos para colocar o risco em termos de conexão humana do que um cinema cheio de estranhos, infelizmente”, disse ele. “É uma pergunta muito pessoal, e depende das circunstâncias individuais das pessoas, mas, infelizmente, não me vejo entrando em um cinema em um futuro próximo.”


Paulo C. Góis

Paulo C. Góis

Paulo Cesar Góis, tradutor e redator. Foi introduzido por Harry Potter no mundo nerd. Desde então devorou de Duna a Sandman, e usa a fantasia e a ficção científica para tornar o universo um pouco mais mágico.

Comentários