Séries & TV

‘Grey’s Anatomy’ já tratou um paciente com suspeita de coronavírus

‘Grey’s Anatomy’ está na sua 16ª temporada, que foi temporariamente suspensa devido à pandemia de coronavírus.

  Paulo C. Góis    sexta-feira, 20 de março de 2020

Grey’s Anatomy‘ já está no ar há mais de uma década – 15 anos, para sermos precisos. É tempo suficiente para os casos mais bizarros do mundo terem passado por aquele hospital.

Inclusive, surpreendentemente, um caso específico com suspeita de coronavírus.

O episódio ‘Walking Tall‘ (De Cabeça Erguida) foi exibido na 12ª temporada, em outubro de 2015, e contou a história da médica April Kepner (Sarah Drew).

A história de Kepner começou quando, ao chegar da Jordânia para a sua casa em Seattle, sua amiga Arizona (Jessica Capshaw) percebeu que ela estava com estranhas manchas vermelhas nas costas.

Seguiu-se então uma correria para levar April – que já estava com gripe, febre e tosse – para o hospital Grey Sloan Memorial, onde Miranda Bailey (Chandra Wilson) decidiu confinar a médica em um quarto especial 100% lacrado para que ela não começasse uma epidemia.

Quando os infectologistas do hospital descartaram antraz, o cirurgião Jackson Avery (Jesse Williams) perguntou: “Alguém falou em Mers?”, o que foi dublado como “Alguma chance de coronavírus?”

Mers é a Middle East Respiratory Syndrome, ou Síndrome Respiratória do Oriente Médio. A doença é uma variante do coronavírus, assim como o novo Covid-19. No fim, entretanto, Kepner não tinha Mers: seu diagnóstico foi de dermatite de contato.

Grey’s Anatomy‘ está na sua 16ª temporada, que foi temporariamente suspensa devido à pandemia de coronavírus.


Paulo C. Góis

Paulo C. Góis

Paulo Cesar Góis, tradutor e redator. Foi introduzido por Harry Potter no mundo nerd. Desde então devorou de Duna a Sandman, e usa a fantasia e a ficção científica para tornar o universo um pouco mais mágico.

Comentários