Séries & TV

Governo da Jordânia tem escalada autoritária e quer banir série ‘Messiah’, da Netflix

Não é só aqui no Brasil.

  Paulo C. Góis    quinta-feira, 09 de janeiro de 2020

A Netflix está enfrentando mais um caso de censura, dessa vez na Jordânia, país árabe situado na região do Oriente Médio.

A Royal Film Commission, instituição similar à ANCINE brasileira, solicitou que o serviço de streaming banisse a série ‘Messiah‘ para o público do país.

Apesar disso, um representante da Netflix disse que nenhuma solicitação legal chegou até a empresa e que, portanto, a obra não será removida.

“Messiah é uma obra de ficção. Não se baseia em nenhum personagem, figura ou religião. Todos os programas da Netflix apresentam classificações e informações para ajudar os membros a tomar suas próprias decisões sobre o que é certo para eles e suas famílias.”

Em Messiah, uma agente da CIA investiga uma figura carismática que inicia um movimento espiritual e provoca instabilidade política em toda uma região. É claro, as associações a Jesus e Maomé foram imediatas e causaram rebuliço.

No Brasil, uma situação ainda pior ocorreu com relação ao especial de natal do Porta dos Fundos, ‘A Primeira Tentação de Cristo‘.

A sede da produtora sofreu um atentado terrorista de extrema-direita na véspera do natal e a Justiça do Rio de Janeiro pediu que o filme fosse retirado da plataforma para “acalmar os ânimos” e respeitar a “maioria cristã” do país, num ato que o presidente da OAB chamou de censura.

 


Paulo C. Góis

Paulo C. Góis

Paulo Cesar Góis, tradutor e redator. Foi introduzido por Harry Potter no mundo nerd. Desde então devorou de Duna a Sandman, e usa a fantasia e a ficção científica para tornar o universo um pouco mais mágico.

Comentários