Críticas

Crítica | Ameaça Profunda: Um jogo de vídeo game em forma de filme no fundo do mar

Ameaça Profunda já está em cartaz nos cinemas!

  Pedro Borges    domingo, 12 de janeiro de 2020

Com uma trama no estilo de um jogo de vídeo game de terror com suspense, Ameaça Profunda aposta na mesma premissa de jogo, tendo alguns furos que decaem a qualidade do filme.

A história se resume em 6 pessoas presas cerca de 10km abaixo do fundo do mar, que passam o filme todo tentando chegar aos seus botes salva vidas para conseguirem sair de lá vivos. Com isso, eles enfrentam perigos como pressão da água, falta de oxigênio e até mesmo monstros mitológicos.

O principal erro do filme é que ele já começa a todo vapor, com a Norah – interpretada pela Kristen Stewart e sendo a principal personagem da trama – tentando ir para um lugar seguro, já que a plataforma em que eles estão acaba sendo destruída. O erro acontece quando não há apresentação dos personagens no início, deixando impressão que ocorrerá ao longo do filme, algo que acaba não acontecendo.

Também não há nenhuma menção ou justificativa de porquê há 6 pessoas cerca de 10km no fundo do mar, aspecto que deveria ser introduzido nos minutos iniciais, para situar o telespectador ao assistir o filme.

O jeito que a história é desenvolvida lembra muito um jogo de vídeo game, no qual o personagem passa por obstáculos para chegar no final e enfrentar um “chefão final”, esta é a maneira perfeita de se resumir o filme.

O humor também é algo problemático. Essa é a trama em que não há espaço para piadas, fazendo com que as piadas do personagem Paul – interpretado pelo T.J. Miller – não funcionem, desconstruindo todo ritmo de tensão que é construído ao decorrer da história.

Mesmo com todos esses problemas, Kristen Stewart prova mais uma vez – já tinha provado ano passado em As Panteras – que seu papel na saga Crepúsculo foi um ponto fora da curva e que é uma boa atriz. Ela consegue carregar toda a carga emocional que sua personagem está passando.

Por fim, Ameaça Profunda chega no momento errado aos cinemas – seja no Brasil, seja lá fora – não sendo chamativo, e muito menos bem divulgado, com uma trama problemática e bem parecido com um jogo de vídeo game, tendo a atuação da Kristen Stewart salvado o filme de ser um fiasco total.


Pedro Borges

Pedro Borges

Pedro Borges, viciado em filmes, nerd desde criança e escrever sobre esses assuntos é o que eu mais gosto de fazer.

Comentários