Filmes

Após censura, ‘Marighella’ estreia em maio nos cinemas brasileiros

“A única luta que se perde é aquela que se abandona”, diz o cartaz do filme.

  Paulo C. Góis    quinta-feira, 16 de janeiro de 2020

Marighella‘ finalmente tem uma data certa para chegar aos cinemas brasileiros.

Inicialmente, o longa seria lançado no dia 20 de novembro de 2019, Dia da Consciência Negra, mas impasses burocráticos impediram sua exibição – algo que o diretor Wagner Moura chamou de censura, embora a produtora do filme tenha se recusado a utilizar o termo.

Agora, o filme estreia em 14 de maio nas redes de cinema do Brasil. O anúncio veio junto com um recado:

“A única luta que se perde é aquela que se abandona.”

Para Moura, a produtora não pode alegar censura e se indispor com a Ancine (que está, de acordo com o artista, selecionando quais obras vão receber subsídio de acordo com viés ideológico):

“Como grande empresa, a [produtora] O2 não pode chegar e dizer que a Ancine censurou o filme. Mas eu posso. Susteno o que já disse. É uma censura diferente, mas é censura, que usa instrumentos burocráticos para dificultar produções das quais o governo discorda. Não há uma ordem transparente por parte do governo para que isso aconteça, no entanto já vimos Bolsonaro publicamente dizer que a cultura precisa de um filtro. E esse filtro seria feito pela Ancine”, disse Moura.

“O atraso na conclusão desse filme ocorreu apenas em novembro de 2019, enquanto a negativa do pedido relativo ao Marighella veio em agosto. Ou seja, uma coisa não tem nada a ver com a outra.

Aliás, no ano em que investiram na destruição do nosso cinema, Bacurau e A Vida Invisível ganharam prêmios em Cannes e, agora, Democracia em Vertigem foi indicado ao Oscar. Duvido que qualquer um desses filmes conseguisse financiamento através da Ancine hoje.”

A produção representa a cultura e memória da história brasileira, contando a história do poeta, escritor e guerrilheiro Carlos Marighella, figura complexa que resistiu à ditadura militar iniciada em 1964 – responsável por escândalos de corrupção, censura, tortura, “desaparecimentos” e assassinato de centenas de pessoas, muitos sem resolução até hoje.

Marighella tem Seu Jorge no papel principal como o guerrilheiro e conta ainda com um elenco de peso: Adriana Esteves, Bruno Gagliasso, Humberto Carrão, Herson Capri e Luiz Carlos Vasconcelos.

 


Paulo C. Góis

Paulo C. Góis

Paulo Cesar Góis, tradutor e redator. Foi introduzido por Harry Potter no mundo nerd. Desde então devorou de Duna a Sandman, e usa a fantasia e a ficção científica para tornar o universo um pouco mais mágico.

Comentários