Filmes

Estúdio de ‘Coringa’ explica escolha de músico pedófilo para a trilha sonora

Mais uma polêmica solucionada.

  Paulo C. Góis    segunda-feira, 14 de outubro de 2019

Pelo menos uma das polêmicas envolvendo o Coringa está esclarecida.

A cena de Joaquin Phoenix dançando na escada logo tornou-se um clássico moderno, mas a música que embala seus passos tem um grande porém: é cantada por um notório abusador de crianças. Logo começaram as dúvidas do público: será que esse criminoso confesso ficaria um tanto mais rico com o lucro gerado pelo filme?

Parece que não, pelo menos de acordo com o estúdio responsável pelo filme de Todd Phillips, o Snapper Music. Em entrevista ao L.A. Times, a empresa confirmou que Gary Glitter não receberá um centavo pela presença da faixa ‘Rock n’ Roll Part 2‘ no longa, já que ela pertence ao estúdio e não ao artista.

“Gary Glitter não será pago. Nós não temos contato com ele.”

Então tá bom, né?

Coringa já está em cartaz nos cinemas nacionais.


Paulo C. Góis

Paulo C. Góis

Paulo Cesar Góis, tradutor e redator. Foi introduzido por Harry Potter no mundo nerd. Desde então devorou de Duna a Sandman, e usa a fantasia e a ficção científica para tornar o universo um pouco mais mágico.

Comentários