Filmes

Sim, ‘Pantera Negra’ merece ser indicado a Melhor Filme no Oscar

Uma defesa do melhor filme de super-herói desde O Cavaleiro das Trevas e Watchmen.

  Paulo C. Góis    terça-feira, 11 de dezembro de 2018

Tradução de um artigo escrito por Adam Chitwood para o Collider.

Como um portal sobre cultura nerd em diversos formatos — livros, quadrinhos, animações, séries e, é claro, filmes —, nosso objetivo no Nerd Site é levantar questões e apoiar debates sobre o mundo do entretenimento. No ano de 2018, nada teve mais impacto nesse quesito do que o lançamento de Pantera Negra, da Marvel Studios. Uma adaptação de HQ, um marco para a diversidade no cinema mainstream, um filme de qualidade: muitas coisas em uma só. Para nós, é importante ter essa perspectiva contemplada no site. Apreciem o texto.

Durante anos, os fãs de filmes de quadrinhos quiseram ser levados a sério pelo Oscar. Independentemente de como você se sente sobre o Oscar, ele é amplamente aceito como o reconhecimento mais prestigioso que um filme pode receber. Uma década atrás, O Cavaleiro das Trevas parecia prestes a se tornar o primeiro filme de super-heróis a receber uma indicação ao Oscar de Melhor Filme, mas sua exclusão surpresa (em parte graças ao trabalho de Harvey Weinstein: The Reader) chocou tanto Hollywood que no ano seguinte a Academia ampliou o número de indicados de Melhor Filme para 10.

E, no entanto, nas nove cerimônias desde aquela época – que coincidem com a ascensão da Marvel Studios e a ascensão geral de filmes de super-heróis como o maior gênero da história -, um filme de super-heróis ainda não recebeu uma indicação ao prêmio de Melhor Filme. Isso pode muito bem mudar este ano, já que o aclamado pela crítica Pantera Negra está aproveitando um pesado (e sério) empurrão da Disney para o Oscar, e a maioria dos prognosticadores do Oscar tem o filme na fila para finalmente romper essa barreira e conseguir uma indicação ao Oscar.

Há apenas um problema: alguns fãs de filmes de quadrinhos muito vocais não sentem que isso é merecido. De fato, depois de anos clamando por uma honra que pode finalmente vir, a resposta é: “O filme não é tão bom assim.” Pantera Negra realmente merece o prêmio de Melhor Filme? É apenas o caso de uma indicação simbólica atribuída ao filme certo na hora certa, ou é realmente um dos melhores filmes do ano? Eu estou aqui para argumentar, enfaticamente, que é a última coisa.

Agora, considerar Pantera Negra merecedor de uma indicação de Melhor Filme não tem absolutamente nada a ver com o que foi ou não nomeado no passado. Não é assim que o Oscar funciona. Eu não me importo com o quanto você ama Logan, Homem de Ferro ou Homem de Aço, esses filmes não receberam indicações de Melhor Filme, então usá-los como um contraponto a Pantera Negra é um ponto discutível. O Oscar acontece em uma bolha. Os eleitores tomam decisões em um momento específico, e os indicados refletem esse momento em particular. É por isso que alguns Oscar envelhecem bem (No Country for Old Men) e outros nem tanto (Crash).

Então, isto posto de lado, a questão é: Pantera Negra é um dos melhores filmes de 2018? Sem dúvida que sim. O diretor e co-roteirista Ryan Coogler infundiu o filme com um forte ponto de vista, resultando no mais substancial e instigante filme da Marvel Studios já feito. Esqueça o gênero dos super-heróis – Pantera Negra é um filme complexo e profundamente envolvente sobre a moralidade e o custo do isolacionismo. Através dos olhos do Killmonger de Michael B. Jordan, o filme mergulha na especificidade da experiência afro-americana, usando a vida de perdas e dificuldades de Killmonger como um contraste para a vida comparativamente privilegiada de T’Challa (Chadwick Boseman).

É justo que a nação africana de Wakanda fique ociosa, escondida, enquanto os descendentes de africanos em todo o mundo enfrentam dificuldades generalizadas como uma minoria desprivilegiada? Se alguém tem os meios de intervir para o melhoramento do seu povo, essa pessoa é moralmente obrigada a fazê-lo? Essas são grandes questões sem respostas fáceis, mas Pantera Negra está mais do que feliz em lutar com elas. E tudo isso está envolvido em um conto épico e complexo de um reino; uma história de pais e filhos, e o que faz um governante bom e justo – que sacrifícios valem o bem maior?

Essas são ideias pesadas e complicadas, e que elas estão ligadas organicamente ao longo de um filme de super-heróis de grande sucesso com tecnologia de ficção científica e sequências de ação ao nível de James Bond tornam Pantera Negra ainda mais substancial. Isso é entretenimento de massa com um ponto de vista; um blockbuster que faz você pensar e deixa o público sem respostas fáceis. Se isso não o torna um dos melhores filmes do ano, eu não sei o que faz.

De fato, a ideia de “Melhor Filme” deve – em um mundo justo – abranger todos os tipos de cinema. Paddington 2 é um filme de família, mas também é um dos melhores filmes do ano. Hereditário é um filme de terror profundamente perturbador, mas é um grande feito ainda assim. Tradicionalmente, são os dramas e os filmes “sérios” que são indicados, mas Pantera Negra preenche essa lacuna entre o drama instigante e o entretenimento de massa.

Então, o que torna Pantera Negra melhor do que outros filmes de super-heróis de 2018, como Vingadores: Guerra Infinita ou Deadpool 2? Bem, por um lado, quando se trata do Oscar, o merecimento não tem nada a ver com isso. Mas pode-se facilmente argumentar que Pantera Negra é mais substancial do que as outras ofertas de super-heróis de 2018 – ele é explicitamente sobre algo além do enredo, e francamente é muito mais elegante em manipular seus temas do que os outros grandes filmes de super-heróis de 2018. Deve-se ressaltar que a Marvel Studios se sente da mesma forma, já que eles estão indicando Guerra Infinita apenas para a categoria de Melhores Efeitos Visuais, em contraste com sua campanha completa para colocar Pantera Negra em todas as principais categorias.

 


Paulo C. Góis

Paulo C. Góis

Paulo Cesar Góis, tradutor e redator. Foi introduzido por Harry Potter no mundo nerd. Desde então devorou de Duna a Sandman, e usa a fantasia e a ficção científica para tornar o universo um pouco mais mágico.

Comentários