, ,

Saiba tudo sobre como o Venom pode substituir o Capitão América no MCU

Tradução de um artigo do Screen Rant. 

Não há como negar as dicas que Chris Evans deu de que sairá da franquia como o Capitão América após Vingadores 4 – mas esta poderia ser a maneira perfeita de trazer Venom para o MCU que os fãs esperavam.

Para Eddie Brock, é uma chance de provar que ele é um super-herói. Mas para os Vingadores, ele pode revelar a verdade sobre as tentativas da própria S.H.I.E.L.D. de criar um Super-Soldado Simbionte – introduzindo o Venom no MCU através de Nick Fury, em vez do Homem-Aranha.

Antes de explicar como um personagem como Venom pode substituir o Capitão América, e como a história da Marvel Comics realmente torna a solução mais óbvia, vale a pena convencer os fãs de que Steve Rogers poderia ser substituído por um homem como Eddie Brock.

Um repórter, não um soldado. E um reflexo do que significa ser um mocinho moderno, e não um trazido da década de 1940. Mas um produto de ciência militar, mesmo assim… mesmo que Nick Fury estivesse mantendo isso como um segredo escondido mesmo do Homem de Ferro e do resto dos Vingadores.

O Capitão América (provavelmente) deixará os Vingadores

A verdadeira questão que os fãs deveriam estar se perguntando não é como os filmes da Marvel podem lidar com a aposentadoria do Capitão América – embora adicionar o poder de estrela de Tom Hardy não faria mal. Os fãs e os céticos da ideia devem estar se perguntando: que papel o Capitão América realmente desempenha entre os Vingadores? Pelo menos, que papel ele desempenhou antes de se dividirem em Capitão América: Guerra Civil?

Não é correto chamar o Capitão América de ‘líder’ – ele desempenhou esse papel em combate com a permissão de Tony Stark em Vingadores (2012), mas se a Guerra Civil provou alguma coisa, é que cada Vingador tem muita liberdade para chamar um ou outro de líder.

Steve Rogers ganhou o título de Consciência, ou a Bússola Moral dos heróis da Marvel. Se algo parece errado para o Capitão América, todo mundo deveria parar e reavaliar sua posição sobre isso. E embora pareçam diferentes na superfície, é exatamente isso que dá a Eddie Brock o potencial de se tornar um herói também.




Eddie e Steve são o mesmo tipo de herói

Você é um rato de laboratório, Rogers… tudo de especial sobre você saiu de uma garrafa.

Desde sua introdução como um supervilão alimentado pelo ódio, ciúmes e vingança, a Marvel tem trabalhado para fazer Eddie Brock brilhar não como um anti-herói dos anos 90, mas como uma pessoa inerentemente boa.

Bom, claro, mas muito danificado para se chamar de herói (outra coisa que ele tem em comum com o Cap). É aí que Eddie acabou nos quadrinhos modernos, e essa é a versão que a Sony construiu para o filme Venom. Como resultado, entregar uma versão mais verdadeira do Venom ignorando suas origens em Homem-Aranha. Os fãs mais velhos podem ter desejado o vilão que virou anti-herói, já que é quem Eddie era… mas simplesmente não é quem ele é agora.

O filme do Venom demonstra a integridade, generosidade e consciência social de Eddie, fazendo dele a estrela do The Brock Report, uma série investigativa que dá uma luz às pessoas mais pobres, vulneráveis ​​e esquecidas da sociedade. E se sua consciência ou bússola moral estiver em dúvida, ele mostra que são as qualidades que o tornaram um bom repórter, para começar. Mesmo quando ele diz estar de “saco cheio de ajudar o próximo” depois que isso lhe custa a sua vida, Eddie não pode deixar de procurar a verdade sabendo que as pessoas estão sendo feridas. Na verdade, ele até coloca seu relacionamento com sua noiva para trás fazendo o que ele sabe que é certo: como mostrado ao confrontar Carlton Drake, ele “não gosta de bullies” também.

Isso realmente não pode ser enfatizado o suficiente, já que é fácil esquecer: ser um soldado não é o que fez o Capitão América quem ele era – quem ele era foi o que fez dele o soldado perfeito.

Steve Rogers era um herói, o que deu a ele o direito de ser super – e como os últimos mega plot twists da Marvel Comics revelam, o mesmo vale para Eddie. O Capitão América era exatamente o que a S.H.I.E.L.D. queria em um super-herói… e Venom é o que eles queriam em sua segunda tentativa, misturando simbiontes com soldados nos anos 1960. Nick Fury com certeza tem muita coisa a explicar.




Simbiontes são uma peça-chave da história da S.H.I.E.L.D.

Essa reviravolta pode confundir os entusiastas da Marvel que não se mantiveram atualizados sobre a mitologia de Venom, mas a história amplamente conhecida e original da “descoberta” dos simbiontes e o primeiro contato com a Terra está longe de ser verdade.

Eddie Brock só recentemente aprendeu a versão real da história na nova série Venom de 2018, quando um soldado idoso engana seu simbionte o suficiente para levá-los a um prisioneiro. Cativo, o soldado misterioso revela-se o último membro vivo de uma unidade de Soldados Simbiontes. É isso mesmo, os militares norte-americanos conheciam simbióticos alienígenas nos tempos da Guerra do Vietnã e simplesmente não contaram a ninguém. E considerando quão desonesta a  S.H.I.E.L.D. já mostrou ser, o mesmo poderia facilmente ser acreditado no universo dos Vingadores.

Vamos salvar os detalhes da história para os fãs que querem procurá-la em Venom #1, e dizer apenas que os primeiros testes do exército foram feitos usando amostras do antigo deus-dragão simbionte congelado na Terra (é uma história bem louca). Um grupo de soldados foi escolhido a dedo para se fundir com os simbiontes, cujo único sobrevivente procurou Eddie para contar a verdade.

O primeiro Programa Soldado Simbionte foi dirigido pela S.H.I.E.L.D., com o propósito expresso de melhorar a ciência por trás do Capitão América.



Venom é o soldado que a S.H.I.E.L.D. queria fazer

Os detalhes do Programa Soldado Simbionte são mais explorados no quadrinho Web of Venom: Ve’Nam, com Nick Fury descrevendo seu próprio papel em seu início.

Como Carlton Drake e os cientistas da The Life Foundation aprenderam no filme Venom, encontrar a simbiose perfeita entre alien e humano é mais sorte do que lógica. Naturalmente, todos, exceto o líder do grupo, são consumidos por seus simbiotas em outro fracasso da S.H.I.E.L.D., mas isso significa que eles teriam uma razão perfeita para se interessar por Eddie Brock – o exemplo perfeito do Super Soldado Simbionte que eles queriam quando Capitão América desapareceu pela primeira vez.

Pode parecer quase fácil demais para Venom ser recrutado pela S.H.I.E.L.D. se aliar aos Vingadores. Ele teria o coração do Capitão América, mas a natureza Jekyll-and-Hyde do Hulk, o que poderia ser um problema. Dito isto, os fãs não sabem realmente se Hulk retornará em Vingadores 4, já que aparentemente ele está de saco cheio de lutar as batalhas de Bruce Benner – e não porque ele tem medo de Thanos. Então é possível que Venom possa ajudar a preencher duas vagas livres dos Vingadores, não apenas uma.

Ainda é tudo especulação até que a Marvel decida se quer ou não Venom ao lado do Homem-Aranha em seu universo de filmes da Marvel. Ou, após o sucesso do filme, se a Sony quer ou não largar Venom. Mas se a Marvel Studios quiser que isso aconteça, então essa abordagem – trazendo Venom e os simbiontes para a história do MCU através da S.H.I.E.L.D., ao invés do Homem-Aranha – parece a melhor e mais inesperada solução.

Carregando...

5 coisas que já sabemos sobre a história de Vingadores 4

Microsoft anuncia 16 jogos novos para o Xbox Game Pass