Filmes

Dumbledore merece uma história de amor honesta

Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald não faz justiça à história do personagem.

  Paulo C. Góis    quinta-feira, 15 de novembro de 2018

Tradução do artigo de Kim Taylor-Foster no Fandom.

Desde que J. K. Rowling tirou Albus Dumbledore do armário os fãs têm clamado para que o Mundo Bruxo explore sua sexualidade de forma mais profunda.

Não apenas a autora de Harry Potter disse a um público de estudantes durante uma sessão de perguntas e respostas no New York’s Carnegie Hall que sempre pensaria no Diretor de Hogwarts como gay, como também revelou o objeto de seus afetos. Gellert Grindelwald – um bruxo das trevas cujos poderes se equiparam aos de Dumbledore, e que tem uma presença limitada, embora importante, nos livros e filmes de Harry Potter.

É a falta (até hoje) de representação aberta e profunda sobre a verdadeira natureza do relacionamento Dumbledore-Grindelwald que irrita o público, em particular a base de fãs LGBTQ que, em geral, quer ver mais histórias LGBTQ na mídia mainstream. E que lugar melhor para fazer isso do que dentro de uma das franquias mais populares do mundo?

Sim, uma grande parte da base de fãs de Harry Potter ficou irritada com a aparente insistência em manter a sexualidade de Albus fora das telas e fora das páginas. E como os filmes de Animais Fantásticos também – até agora – pareciam insistentes em contornar o assunto, os fãs (sem surpresas) foram especialmente vocais.

Com Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald prestes a chegar às telas, vamos dar uma olhada em como a relação é retratada no filme, e por que os fãs estão clamando para que o “ship” que estamos chamando de ‘Albert’ (‘Dumbgrin’?) seja levado ao centro do palco. Nós também temos as opiniões do elenco sobre o assunto, para ter uma boa medida.

SE APROFUNDANDO… MAS SERÁ QUE É PROFUNDO O SUFICIENTE?

Dumbledore vê Grindelwald no Espelho de Ojesed: seu desejo mais profundo

A franquia de filmes Animais Fantásticos, que começou em 2016 com Animais Fantásticos e Onde Habitam, remonta à década de 1920, contando a história de Grindelwald. A sequência entrega um subtítulo – Os Crimes de Grindelwald – que promete aprofundar o personagem na segunda vez.

Mas enquanto o filme sugere uma profunda ligação entre Dumbledore e Grindelwald – com o Espelho de Ojesed revelando a imagem de Gellert para Albus quando ele olha para o seu reflexo, em meio às revelações de Dumbledore de que os dois não eram apenas “mais próximos que irmãos”, mas tinham também feito um pacto de sangue – ele falha em ser explícito. E isso apesar do diretor David Yates ter dito recentemente que a sexualidade de Dumbledore será “clara” no filme.

Ele disse à Empire Magazine:

Esta parte dessa enorme narrativa que Jo [Rowling] está criando não se concentra em sua sexualidade, mas não estamos escondendo ou disfarçando… a história [do relacionamento romântico] não está lá neste filme em particular, mas é claro no que você vê… que ele é gay. Algumas cenas que filmamos são momentos muito sensuais dele e do jovem Grindelwald.

Bem, isso realmente depende da sua definição de sensual e da sua leitura das motivações de cada personagem nas cenas em questão.

Eddie Redmayne como Newt Scamander

Eddie Redmayne, que interpreta Newt Scamander na franquia, concorda com Yates que a abordagem para descrever a história de amor de Dumbledore é transparente no filme.

Para mim, a intimidade das pequenas partes que você vê, os momentos de flashback que você vê entre ele e Grindelwald, há claramente um amor extraordinário lá… ou um amor complicado.

Ele faz referência a outra cena no filme onde ele credita Jude Law por trazer a história de amor à tona:

Há uma maneira bonita na qual Jude, como Dumbledore, é questionado sobre seu relacionamento com Grindelwald quando ele era mais jovem. Esse personagem, Travers, diz: “Vocês eram como irmãos”, e a maneira como Jude fala: “Não, não, não, nós éramos mais próximos que irmãos”, é como se você visse o coração partido em seus olhos. E eu achei aquilo lindo.

Mas, embora a estrela e o diretor do filme possam pensar que é claro, tudo está implícito e não há nada evidente. Katherine Waterston, que interpreta a pretensa amante de Newt, Tina Goldstein, diz:

Porque o filme não se passa no período em que eles tiveram o que sabemos sobre o relacionamento deles – seu relacionamento romântico ou qualquer outra conexão -, ainda estamos a ver isso, realmente, com grandes detalhes. Parece certo, não me parece conspícuo que não esteja no nosso filme porque estamos num período diferente.

Apesar de todos oferecerem um raciocínio válido para o motivo pelo qual a história de amor de Dumbledore foi mantida fora da tela, ainda há muitas oportunidades e motivos para mostrá-la, em vez de manter referências oblíquas. Particularmente considerando-se que todo o assunto está se moldando para ser uma engrenagem muito importante na saga de cinco filmes.

DUMBLEDORE MERECE

O jovem Gellert Grindelwald refletido no Espelho de Ojesed

Com Jude Law insinuando ao lado de Yates e Rowling que a sexualidade de Dumbledore e seu relacionamento com Grindelwald poderiam ser mais explorados mais pra frente na série de cinco filmes, certamente há tempo e esperança para uma revelação mais sincera, se não um compromisso por parte dos tomadores de decisão para mostrar que definitivamente está acontecendo.

O fato é que não apenas o público LGBTQ merece isso, mas Dumbledore também.

Conhecemos Dumbledore como um homem velho, apresentado pela primeira vez a nós como o sábio e idoso diretor bruxo ajudando a proteger Harry Potter do maligno Lord Voldemort.

Historicamente, sabemos pouco sobre sua vida, salvo trechos sobre seu passado. Mas o quadro pintado é trágico. Alvo Dumbledore é um dos personagens mais amados por fãs e personagens no “Rowlingverse“. Todos gostariam de ver Albus feliz no meio de uma exploração de seu caso de amor – seja em um spin-off ou via flashback em Animais Fantásticos.

Mesmo que esteja destinado a terminar dolorosamente.


Paulo C. Góis

Paulo C. Góis

Paulo Cesar Góis, tradutor e redator. Foi introduzido por Harry Potter no mundo nerd. Desde então devorou de Duna a Sandman, e usa a fantasia e a ficção científica para tornar o universo um pouco mais mágico.

Comentários