Críticas

Crítica | Os Incríveis 2 retorna com o espírito de seu primeiro e se difere de sequências como Carros 2 e Procurando Dory

O longa animado consegue expandir mais ainda o universo, trazendo novos personagens e várias discussões e reflexões de temas importantes, sem perder o foco na história e em seus personagens.

  Redação    quinta-feira, 28 de junho de 2018

Lançado em 2004, Os Incríveis, filme de animação da Pixar, chegava aos cinemas para satirizar os filmes do gênero de super-heróis, que só em 2008 começaria a se consolidar em Hollywood com o primeiro filme produzido pela Marvel Studios, Homem de Ferro.

No entanto, 14 anos depois, a  Disney Pixar resolveu lançar uma sequência. E será que a ideia foi boa? Os Incríveis 2 chega em uma era em que filmes de super-heróis estão bombando, e como inovar e ainda ser relevante tanto tempo depois de seu primeiro filme?

Primeiro, não devemos descartar que uma das razões dessa sequência é a de lucrar com novos brinquedos e produtos licenciados. Mas o filme não fica só nisso!

Na trama, que se passa pouco tempo depois do primeiro, os heróis ainda são vistos como marginais e são proibidos de agirem. O Sr. e a Sra. Incríveis agora se veem com a necessidade de ficarem a margem da clandestinidade e voltarem a uma rotina banal que eles não sabem ao certo se conseguem se readaptar.

Mas é aí que tudo muda, quando um mauricinho, dono de uma das maiores redes de telecomunicações do mundo, aparece e tenta mudar a visão sobre os heróis nesse conflito político. E para que ele consiga mudar a lei, ele transforma a família Pera em uma espécie de Keeping Up with the Kardashians, na qual a estrela maior é a Mulher-Elástica.

Como estamos em 2018, e as questões de gênero e o questionamento dos papéis d homens e mulheres são revistos na sociedade, Os Incríveis 2 vai pelo mesmo caminho e coloca o Sr. Incrível no papel de um dono de casa, responsável por cuidar dos seus três filhos, gerenciar as tarefas de casa e ainda descobrir que o mundo está mudando rápido demais.

Enquanto Helen/Mulher-Elástica é a grande heroína da vez, Beto é deixado de lado e precisa lidar com a sua vaidade e questões que vão além do que ele estava acostumado, como a adolescência de sua filha mais velha e a primeira paixão escolar. Também tem os problemas com seu filho do meio, o Flecha, e as formas de ensinamento do mundo escolar.  Mas o grande problema mesmo é descobrir que o pequeno Zezé tem poderes.

Vale destacar que Os Incríveis 2 não vem com uma mensagem maçante e oportunista no momento em que assuntos como MeToo e feminimsmo estão em voga. Ele mostra de forma divertida o assunto sem perder a essência de seu primeiro filme.

No final, Os Incríveis 2 retorna com o espírito de seu primeiro e se difere de outras sequências do mesmo estúdio, como Carros 2, Procurando Dory e Toy Story 2. Além disso, o longa animado consegue expandir mais ainda o universo, trazendo novos personagens e várias discussões e reflexões de temas importantes, sem perder o foco na história e em seus personagens. Talvez veremos um Incríveis 3, com um intervalo menor dessa vez.


Redação

Redação

“Escolha um trabalho que você ame e não terás que trabalhar um único dia em sua vida”. – Confúcio. Foi com esse pensamento que os fundadores do Nerd Site escolheram trabalhar com o que já era uma paixão: o mundo do entretenimento nerd e geek.