Anime & Mangá

Obras japonesa e as adaptações americanas: um novo capítulo na história Nerd?

O início de um novo capítulo na história Nerd: obras Japonesas adaptadas por produtoras Norte Americanas!

  Rodrigo José    quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

O ano de 2017 mal começou e as novidades para os fãs de animes e mangás não param! E creio que as primeiras do ano serão aquelas que marcarão o início de um novo capítulo na história Nerd: obras Japonesas adaptadas por produtoras Norte Americanas! Superproduções vem aí?

Com o anúncio das adaptações de “Death Note” e Ghost in The Shell (Vigilante do Amanhã) para versões americanas, podemos indicar que a cultura Nerd mundial vive um momento interessante em sua história: adaptações de obras japonesas para o universo “Hollywoodiano”. O que isto quer dizer? Bom, de forma resumida, não teremos mais apenas as produções (um tanto cômicas) de live-actions produzidas pela indústria japonesa. Como vai ficar evidente em meus textos por aqui, eu não sou dos maiores fãs de live-action, devido à forma peculiar dos japoneses para atuar e a tendência das produtoras japonesas de se produzir coisas um tanto curiosas (para não dizer bizarras), porém, isto não quer dizer que não há boas produções por lá, pois as adaptações (trilogia) de Rurouni Kenshin (Samurai X) para live-action foram muito bem produzidas, entre outras adaptações tão boas quanto.

Jaspion

Jaspion

Não é de hoje que produções japonesas são alvo das produtoras americanas. Podemos citar, por exemplo, os “Power Rangers”, uma derivação (para não chamar de cópia) dos Tokusatsus tais como “Kyōryū Sentai Zyuranger” (恐竜戦隊ジュウレンジャー – Esquadrão Jurássico Zyuranger), “Changeman”, entre outros do tipo, que traziam “vários guerreiros adolescentes trajando roupas coloridas e usando máscaras/capacetes, enfrentando inimigos peculiares, fazendo muitas poses com explosões e destruindo cidades desnecessariamente. Porém, agora o fato não é só imitar/copiar as franquias, mas sim adaptar as obras originais para produção americanas.

E qual os pontos positivos disso? Bom, creio que o maior ganho com essas adaptações americanas seja realmente os benefícios resultantes do valor empregado nas produções, pois são gastos fortunas para se produzir filmes em Hollywood, então, podemos esperar efeitos especiais bem trabalhados e atores consagrados, como são os casos de Willem Dafoe Jr. (fez Duende Verde) que estará na produção de Death Note e Scarlett Johansson (Viúva Negra) que estará em Ghost in the Shell, ambos marcaram o cinema internacional com atuações memoráveis em adaptações dos quadrinhos para o cinema. Além disso, a capacidade de propagação de imagem do cinema americano é incomparável, então, teremos um público infinitamente maior destas produções, daquilo que se alcançou com os animes, mangás e live-actions.

Williem Defoe como Shinigami Ryuk

Williem Defoe como Shinigami Ryuk

Há pontos negativos? Sim! Mas aí eu devo entrar no ponto daquilo que é mais evidente, e deixar o mínimo possível, de opinião minha, transcrito aqui. Basicamente, teremos adaptação de conteúdo/roteiro. Exemplificando a situação, para quem leu os livros de Harry Potter e assistiu os respectivos filmes, sabe que muito se cortou e muito se inventou para os filmes da franquia, o que gerou muitas críticas às produções. Além disto, assim como ocorre dos quadrinhos para o cinema, a adaptações de imagem podem ser feitas para se chegar num melhor resultado para o marketing, ou seja, personagens podem acabar tendo seus visuais modificados, bem como outros elementos.

Enfim, teremos uma clara noção do que será após a estreia oficial de Ghost in The Shell e Death Note. E vocês, estão com boas expectativas? Deixe sua opinião nos comentários.


Rodrigo José

Rodrigo José

Colaborador, administrador, escritor e pai. Trabalha atualmente em empresa de consultoria em meio ambiente, também colunista em site de música underground (Elegia e Canto) e tenta conciliar o que resta do tempo entre assistir animes e séries.

Comentários