Hardware

Japoneses desenvolveram um robô que usa apenas redes neurais para se mover

Máquinas pensando por conta própria?! Acho que já vimos isto em algum lugar.

  Vitor Cayres    segunda-feira, 01 de agosto de 2016

O futuro é agora nerds! Como era de se esperar a novidade vem da terra do sol nascente. O robô Alter foi criado por dois laboratórios de robótica em Tóquio e em Osaka, no Japão, e está em exposição no Museu Nacional de Ciência Emergente e Inovação de Tóquio.

Alter, roda inteiramente a partir de uma rede neural. Isso significa que todos os seus movimentos incoerentes e erráticos são 100% livres do controle humano. Podemos dizer que a máquina tem vida própria.

se você assistiu o longa Ex. machina, e achou ficção daquelas anos luz da nossa realidade, Alter está ai para mostrar que você estava um tanto enganado. Está maquina de aparência bizarra, tem 42 atuadores pneumáticos e um “gerador central de padrão”, de acordo com Matt Smith, do Engadget. Esse gerador essencialmente cria o equivalente robótico dos neurônios para ele conseguir se mover.

Antes de continuar falando sobre as especificações assista a um vídeo onde a máquina é apresentada:

Ao contrario da Ava de Ex. Machina este robô ainda está longe se parecer um ser humano. Mas a pergunta aqui é: Até quando?

Os movimentos desordenados de Alter são baseados em sensores que detectam ruídos, temperatura, umidade e proximidade. Esses sensores agem como versões robóticas dos nossos sentidos. Suas vocalizações estranhas são na verdade ondas senoidais que descrevem o movimento dos dedos do robô, de acordo com o Engadget.

A exibição de Alter vai até o fim desta semana (5).


Vitor Cayres

Vitor Cayres

Fundador, formado em Publicidade e Propaganda, paulista e, enquanto não consegue ir para Marte, acredita que um dia teremos respostas sobre as origens dos Aliens.

Comentários